sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

MOMENTO FOFURA "BEBÊ COM CACHORRO"

PESSOAS QUE SE PARECE COM PERSONAGENS DE DESENHOS

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

FRASES CRIATIVAS PARA WHATSAPP

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

BOA TARDE! ABENÇOADA POR DEUS

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

LINDOS RECADOS DE FELIZ ANO NOVO 2017 PARA TWITTER, FACEBOOK






quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

LINDAS MENSAGENS DE BOA TARDE para amigos

domingo, 27 de novembro de 2016

RECADOS ANIMADOS DE FELIZ NATAL 2016 FACEBOOK,

RECADOS ANIMADOS DE FELIZ NATAL 2016 FACEBOOK,
 

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Esportes ideais para cada fase da criança



A criança atual apresenta habilidade enorme para mexer em computador e completar jogos no videogame. Isso não é nada interessante, sinal de que os pequenos estão cada vez menos praticando esportes e optando pelos jogos eletrônicos. O esporte é essencial (não se esqueçam disso, pais!) para o desenvolvimento da criança.

Algumas atividades físicas são indicadas para cada etapa do crescimento do pequeno.

Especialista em ortopedia pediátrica do Hospital e Maternidade São Luiz, o dr. Fabiano Prata, ressalta que é importante respeitar o estágio de desenvolvimento neuropsicomotor da criança de acordo com sua faixa etária.

Ou seja: não surtirá tanto efeito exigir com que o filho aprenda as regras do futebol se ele tem apenas 2 anos.

Lembrando que qualquer esporte é importante, mesmo que não esteja incluído na lista abaixo descrita pelo Dr. Fabiano Prata.


Até o primeiro ano de vida – atividades básicas, como engatinhar, primeiros passos, pois são leves e harmoniosas, levando-se em conta que o bebê ainda está em estágio inicial de crescimento.

1 a 6 anos - Natação é uma grande pedida. Explicações não faltam para apontar a natação como benéfica. A natação ajuda a trabalhar o sistema respiratório e a melhorar o desenvolvimento motor, o equilíbrio e a postura. Além disso, não há regras, como o futebol, por exemplo. É tão somente pular na água e nadar.

Mesmo não sendo um esporte, o subir e descer escadas é um bom exercício físico aos pequenos entre 1 a 6 anos. Também não se pode esquecer de atividades como andar de bicicleta ou triciclos e brincadeiras em parques como subir em escorregador e brinquedos que exijam pouco esforço.

6 a 12 anos - Esportes que envolvem técnicas e regras já se tornam interessantes a essa faixa etária. Antes de apontarmos as principais modalidades a serem seguidas, é interessante que as aptidões do filho sejam levadas em considerações.

Esportes como vôlei, futebol e basquete trabalham o aspecto psicológico, auxiliando a criança a trabalhar em equipe, conviver com diferentes tipos de personalidades, aprender a perder e ganhar.

O judo e caratê trabalham muito a disciplina. São esportes individuais e altamente técnicos. Nem sempre o mais forte vence. A concentração e a mentalização são importantes trunfos nessas modalidades. Essa disciplina pode trazer frutos na vida do menino ou menina.

“Hábitos saudáveis adquiridos desde cedo ajudam a criança a ter uma melhor qualidade de vida quando adulta, prevenindo possíveis doenças causadas pelo sedentarismo”, frisa o ortopedista.

Comportamento do bebe, Aprendendo a falar desde cedo

"A bola é lalanja". "Cadê meu binquêdo?". Qual pai ou mãe não se derrete de alegria ao ouvir a criança pronunciando algumas palavras com pequenos erros. Alguns chegam até a estimular o filho a falar dessa forma, pois soa bonitinho. Lógico que a pronúncia incompleta de algumas palavras é perfeitamente normal para uma criança entre 1,5 a 4 anos de idade, já que ainda não possui o processo de fala em estágio completo. Entretanto, é recomendado que os pais ensinem o filho a falar corretamente desde o início de vida.

A ausência de estímulos à musculatura oral pode acarretar em problemas de fala no futuro. O distúrbio na fala, caso não seja tratado corretamente, pode inclusive afetar mais tarde na alfabetização da criança.

A fonoaudióloga Jamile Elias Canetto explica que algumas atividades simples e aparentemente sem grande importância são essenciais no desenvolvimento oral do bebê. Expressões faciais como mandar beijinho para as crianças ou mostrar a língua funcionam como bons exercícios.

"A criança deve ser estimulada logo após o nascimento. Faça a seguinte atividade: converse de frente para ela e faça gestos e caretas com a boca. É engraçado que o bebê, inconscientemente, tentará reproduzir o gesto. Ao tentar copiar os movimentos labiais, a criança estará indiretamente praticando um excelente exercício de musculatura oral", informa Jamile Canetto.

Segundo a fonoaudióloga, o processo de aquisição da fala por parte da criança está totalmente ligado à educação exercida pelos pais. Para ela, pai e mãe devem orientar a criança a pronunciar a palavra corretamente, de forma suave, evitando palavras no diminutivo. "Não é interessante que os pais se comuniquem com o filho utilizando diminutivos. Além da criança ter muito mais facilidade em pronunciar 'boneco' do que 'bonequinho', ela terá mais facilidade de nomear e gravar as palavras por serem mais fáceis de falar", explica.

Falando com carinho – A correção da pronuncia não significa reprimir cada erro cometido pelo filho. Ao contrário, os pais devem ser carinhosos e explicativos, ensina a fonoaudióloga. "Se o filho diz que quer beber 'acá' (água), a mãe deve responder: - Você quer água? Vou pegar água pra você". "Com isso, a criança aprende a palavra certa, além de unir figura e palavra".

Mamadeira e chupeta - Personagens famosos do mundo infantil, a mamadeira e a chupeta não são indicadas na aquisição da fala, pois a língua não é estimulada a buscar o alimento, como acontece quando o nenê é amamentado. "Não há o que negar os benefícios gerados pela chupeta e mamadeira em outras situações. Porém, no que se refere ao desenvolvimento da fala, o trabalho de sucção é prejudicado pela presença do bico desses acessórios", define Jamile Canetto.

Audição – Problemas auditivos também influem no desenvolvimento da fala. A criança com algum tipo de inflamação no ouvido, como a otite, por exemplo, costumam apresentar desatenção por não ouvir direito, o que dificulta no processo de aprendizagem das palavras.

Chá de Bebê - lindos modelos de lembrancinhas

lembrancinhas para seu chá de bebê ou dia do nascimento!

Confira:





Coração de feltro: pode ser um sachê perfumado ou enfeite de porta. Uma de minhas lembrancinhas preferidas.



Se tivéssemos de classificar o nível de utilidade de um chaveiro de feltro, eu diria “baixa”. São bonitinhos, mas não duram muito e nem todo mundo gosta de usar chaveiros de bichinhos. Mas está valendo, rs. Já sachês perfumados e enfeites de porta são boas pedidas.



"Lembrancinhas de chá de bebê baratinhas, bonitinhas e fáceis de fazer". Basta pegar um bombom ou trufa, embrulhar assim, e colar um coração de papel estampado, nos tons da decoração do chá de bebê.



Outra forma de usar o chocolate como lembrancinha de chá de bebê. Você compra qualquer barrinha de chocolate e faz uma embalagem personalizada que combina com o restante do chá de bebê.



Mais sachês perfumados como lembrancinha de chá de bebê, em cores lindas.



Ursinho simpático de feltro, que (adivinhem?) também é um sachê perfumado!
Designer: ♥♥neusa http://neusatemplates.blogspot.com.br//